quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Registro da aula de 4 de outubro 2017 [Turma Y]





Começamos a aula aquecendo as articulações através da música bole bole, quem sabia a música puxava e o restante da turma acompanhava, logo em seguida foi proposto que 3 pessoas se dispusessem a puxar a música enquanto o restante continuava o aquecimento. Cantamos também a música do Gavião movimentando a nossa escápula, além de ler os trechos que foram compostos previamente em casa relacionado a aula, nesta música aprendemos sobre ritmo, métrica e tônica, puxando a diante a música da Cachoeira, fazendo sua respectiva coreografia.


Foi proposto em roda um novo jogo, a caninana, começamos com passos um para a frente outro para trás cantando o seguinte verso: o toco é grosso, a raiz é funda, procurei q raiz lá no fim do mundo, toco preto no caminho, se a moita mexer eu quero ver quem é. Então a música tomava um novo ritmo mais rápido e uma pessoa entrava fazendo seu jogo desafiando ou esperando um oponente, o objetivo era pegar no canela do outro e mesmo que cumprido o jogo continuava até finalizar a música, esse conflito acontecia no trecho:
Eu fui no mato E caninana Ponhar meu imbé E caninana E a danada da cobra E caninana Mordeu o meu pé E caninana Ela é cobra verde E caninana Ela é cobra coral E caninana Ela é venenosa E caninana Ela vem me pegar O restante da aula ficamos lendo as pesquisas feitas pelos alunos e postadas no blog, sobre os seguintes temas: Articulações: estrutura e diferentes formatos Tendões: função e formas Fuso muscular Câimbra Estalo nas articulações O movimento e o sistema neuro sensorial Alinhamento postural


Giovana Dinelli e Lais Emilia 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Universo acadêmico: oportunidade na Biblioteca

A Biblioteca da UFU vai oferecer no período de 23 a 27 de outubro 
algumas atividades relacionadas com a editoração acadêmica,
sugiro que vocês se organizem e façam uma ou todas as oficinas baixo:

  • Oficina de Normalização de Trabalhos Acadêmicos -Trabalhos Acadêmicos
  • Oficina de Normalização de Trabalhos Acadêmicos - Citações
  • Oficina de formatação de trabalhos acadêmicos - módulo básico

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Tendões

O Tendão é uma estrutura fibrosa, um cordão fibroso, constituído por tecido conjuntivo e faz parte do músculo estriado. Possui uma enorme resistência.


A função dessa estrutura fibrosa, o Tendão, é manter o equilíbrio estático e dinâmico do corpo, ligando o músculo ao osso ou a outras estruturas corporais. Esse equilíbrio ocorre através da transmissão do exercício muscular aos ossos e articulações, transmissão de força, garantindo o movimento.



É importante ressaltar que Tendão é diferente de Ligamento.  A função do ligamento é vincular osso com osso, garantindo a estabilidade do corpo. Já o tendão é responsável pelo movimento do corpo, ligando músculo com osso.




A Patologia mais comum relacionada a Tendão é a Tendinite. Essa patologia ocorre quando surge uma inflamação no tendão. Pode atingir o ombro, o pulso, o joelho, o cotovelo e o tornozelo.  




Um Tendão pode estar envolvido na flexão( tendão flexor) ou na extensão (tendão extensor), dependendo do local do corpo.

Tendão Patelar, Tendões das Mãos e dos Pés, Tendões do Cotovelo, são alguns tipos de tendões que existem no corpo, mas dentre eles destaca-se o Tendão Calcâneo.


Tendão Calcâneo – É o tendão mais forte do corpo, também conhecido como Tendão de Aquiles.  O ponto de inserção fica no calcanhar e nos  músculos superficiais posteriores da parte inferior da perna.




Autores: Eliza Gomes, Lais Barbosa e Reylla Garcia
Referencias Bibliográficashttps://conceito.de/tendao
                                                 http://www.ehow.com.br/lista-tendoes-corpo-lista_16324/


ESTALO NAS ARTICULAÇÕES

  Frequentemente nos deparamos com barulhos repentinos vindos das nossas articulações, seja por movimentos abruptos (bruscos), por estarmos parados há muito tempo, ou quando estalamos algumas regiões na busca de prazer e relaxamento. A ocorrência desses ruídos é intrigante e costuma nos levar a questionamentos a seu respeito, como: "esses sons são normais?" ou "há algo de errado com o meu corpo?". A partir desses questionamentos que surgiram durante nossas experimentações, fomos instigados a pesquisar respostas para tais indagações.




  As articulações podem fazer uma variedade de sons, desde estouros, estalos, crepitações (som provocado por ossos fraturados) e até a moagem (som semelhante a moição de grãos/ossos se raspando). As articulações que estalam mais cotidianamente são as dos joelhos, tornozelos, costas, pescoços e dedos. Existem inúmeras razões do que leva a ocorrência desses barulhos, até hoje nenhum estudo foi por inteiro conclusivo. As três causas mais comuns de estalos são: 

  • Escapando gases/vácuo: Os cientistas explicam que temos nas articulações uma cápsula articular, e dentro dela o líquido sinovial (composto por alguns gases como oxigênio, nitrogênio e dióxido de carbono), que nutre e lubrifica as articulações, facilitando o movimento ósseo. Quando você estala ou dobra uma articulação, essa cápsula articular é esticada. Isso gera uma diminuição da pressão nesse fluido sinovial, formando um vácuo no interior da articulação e fazendo com que os gases, agora menos solúveis no líquido, produzam bolhas. Essas bolhas são rompidas quando ocorre o alongamento excessivo da cápsula articular e com esse rompimento ocorre o som do estalo. Esses gases levam de 15 a 30 minutos para se dissolverem por completo no líquido sinovial. Isso explica o porque não é possível estalar os dedos da mão, por exemplo, continuamente. 
  • Movimento das articulações, tendões e ligamentos: Quando uma articulação se move, às vezes ela altera o curso natural de um tendão ou ligamento. O estalo é ouvido quando esse tendão/ligamento retorna à sua posição original. 
  • Condropatia Patelar: É o amolecimento ou desgaste na cartilagem que reveste a patela (rótula do joelho) causado por motivos mecânicos ou anatômicos. Atinge pessoas de todas as idades que apresentem desequilíbrio muscular com déficit de fortalecimento e/ou alongamento muscular nos membros inferiores. Também pode se desenvolver em pessoas que praticam musculação de forma exagerada ou mal orientada, ou em pessoas que subam e desçam escadas ou que permaneçam com os joelhos flexionados por um período prolongado.

  Mas nem todos os estalos estão ligados às articulações. Alguns deles ocorrem nas chamadas fáscias (camadas mais profundas da musculatura). Quando a fáscia é estimulada de maneira errada, principalmente em pessoas sedentárias, ela gera os estalo (a partir de processo semelhante ao da cápsula articular).


 Em geral, pessoas que têm encurtamento muscular e são sedentárias são mais suscetíveis aos estalos, pois suas articulações estão mais sobrecarregadas, menos preparadas para cargas. Os estalos também são muito comuns em adolescentes e são resultado do chamado estirão de crescimento: os músculos são menores do que deveriam e acabam por não acompanhar o crescimento ósseo.

  Caso a pessoa esteja sentindo dor quando suas articulações estalam, um profissional de saúde deve ser procurado. Apenas um especialista sabe o motivo do aparecimento do barulho seguido da dor e o que fazer para aliviá-los. 


RELAXAMENTO

  Muitas pessoas têm como costume estralar os dedos no dia-a-dia. Fazem isso quando estão ansiosas, nervosas, para relaxar, liberar a tensão e até mesmo para simplesmente ouvir o som típico dos estalos. Quando se dão conta essa atividade já se tornou um hábito inconsciente.


  Quando as articulações são manipuladas, os órgãos do tendão de Golgi (um conjunto de terminações nervosas envolvidas no movimento) são estimulados e os músculos em torno da articulação causam uma sensação de relaxamento, sendo esse o principal motivo que algumas pessoas estalam suas articulações.


 Os estudos acerca dos estalos dos dedos também não se mostram conclusivos. No entanto sabemos que todo excesso, por mais que não seja doloroso, pode eventualmente causar algum tipo de dano. Quando o estalo deixa de ser um processo fisiológico e se torna voluntário pode causar danos ao tecido mole da articulação, na cápsula articular, no atrito ósseo e até diminuição da força.

 Porém, uma confirmação é certa: os estalos não engrossam os dedos, como está no nosso imaginário popular. As articulações ficam mais grossas com a idade, independente se há ou não ressaltos. Outra observação também é que após o estalo, a articulação tem um aumento significativo de amplitude de movimento, mesmo que momentâneo.


 No entanto, o estalar do pescoço não é muito recomendado. Estalos constantes nessa região significam que você é hiper-móvel ou há muito espaço e suas articulações podem sair do alinhamento. Os músculos ao redor das articulações do pescoço podem apertar demais para segurá-las no lugar, podendo causar tensão no pescoço. Assim, enquanto estalar suas articulações não vai te causar uma artrite, as chances são de que você esteja contribuindo pelo menos para um torcicolo leve todos os dias.



TEXTO ADAPTADO POR BEATRIZ VERGARA, DENNYS EVANGELISTA E INGRID NOGUEIRA.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ARAUJO, Paulo Henrique. Condropatia Patelar. Meu Joelho, 2016. Disponível em: <http://www.meujoelho.com.br/condropatia-patelar/>. Acesso em: 02 set. 2017.


DANIELI, Marcos Vinicius. Qual é a origem dos ''estalos'' das articulações? Bonde, 2010. Disponível em: <http://www.bonde.com.br/saude/duvidas/qual-e-a-origem-dos-estalos-das-articulacoes--160955.html>. Acesso em: 30 set. 2017. 

LENZI, Sandro. Porque ocorre a crepitação articular? Sandro Lenzi, 2016. Disponível em: <https://www.sandrolenzi.com.br/crepitacao-articular/>. Acesso em: 29 set. 2017.

REDAÇÃO INCRÍVEL. Por que não devemos estalar os dedos? Incrível. Disponível em: <https://incrivel.club/criatividade-saude/por-que-nao-devemos-estalar-os-dedos-13255/>. Acesso em: 02 set. 2017.


REDAÇÃO MINHA VIDA. Estalos só preocupam quando causam dor. Minha Vida, 2016. Disponível em: <http://www.minhavida.com.br/saude/materias/4959-estalos-so-preocupam-quando-causam-dor>. Acesso em: 30 set. 2017.

REDAÇÃO SAÚDE MELHOR. Estalar os dedos faz mal? Saúde Melhor. Disponível em: <https://www.saudemelhor.com/estalar-dedos-faz-mal/>. Acesso em: 02 set. 2017.

SIMÕES, Ana Paula. Por que as articulações estalam? Veja os motivos e saiba se são prejudiciais. Globo Esporte, 2015. Disponível em: <http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2015/03/por-que-articulacoes-estalam-veja-os-motivos-e-saiba-se-sao-prejudiciais.html>. Acesso em: 30 set. 2017.

Registro de aula de 20 de Setembro de 2017 [Turma Y]

A aula começou com uma pergunta: o que é articulação? Alguns alunos se arriscaram nas respostas e logo chegamos a uma conclusão de que as articulações são os encontros dos ossos, revestidas pela cápsula articular, que contém cartilagem e o líquido sinovial, responsáveis por proteger os ossos dos atritos, lubrificar as articulações, facilitar a circulação e a nutrição das mesmas. Para isso, as articulações precisam de movimento. Dentro das articulações existem os ligamentos, que ligam um osso ao outro, variando a forma dependendo do tipo de articulação.


O assunto tomou outra direção e foi citada a importância da cartilagem em outras partes do corpo, como nariz e orelhas e suas funções de dar forma, proteção e sustentação. Além disso, a professora nos convidou a fecharmos os olhos e os mantermos apertados por um tempo. Vários de nós vimos formas geométricas, psicodélicas e desenhos, isso acontece pois a pressão estimula as células da retina que, por sua vez, fazem com que o cérebro acredite que nós realmente estamos vendo a luz, esse fenômeno se chama fosfeno. 
Bem como dentro das articulações, músculos, tendões e ligamentos, temos estruturas que informam ao cérebro os movimentos que fazemos, que transportam informações sobre pressões, tensões e distensões. Elas são chamadas de proprioceptores e são essenciais para aprimorarmos os movimentos, possibilitando, mesmo que de olhos fechados, que se tenha percepção do próprio corpo e movimentos articulares.

Mudamos o foco da conversa e cantamos uma música já conhecida por nós: “Tu não me mexe, tu não me bole, que eu tenho a junta do meu corpo toda mole”. Aprendemos que esse estilo musical é o Cacuriá, originado no Maranhão, nas Festas do Divino e apenas as mulheres tocam. Várias curiosidades foram levantadas com relação à festa, à música e ao tambor utilizado pra tocar. A congada também foi pauta da nossa discussão, pois está acontecendo em Uberlândia os cortejos e no dia 14 de outubro é a grande festa que encerra esse período de homenagens à Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.
Passamos para a parte prática e cantamos a música novamente, em pé, lubrificando as articulações, conhecendo nosso corpo e sentindo a vibração da voz ao cantar. Aprendemos outra música:
Avoou, avoou
Avoou deixa voar
No galho da imbaúba
Gavião Totoriá
(Gavião – Cacuriá de Dona Teté)
(Seguido de versos improvisados)
Cantamos e dançamos ao passo do Cacuriá e fizemos movimentos de voo, focando na escápula, simulando um gavião. E, por falar em escápula, esse foi nosso maior tema da aula.

Em dupla, sentados, manipulamos a escápula do colega de forma passiva e em pé, fizemos movimentos com a escápula de forma ativa, e nosso colega deveria senti-la. Após isso, fechamos os olhos e de forma individual, buscamos movimentos que tinham a escápula como protagonista.
Voltamos para o momento teórico e vimos fotos da escápula e sua estrutura. Descobrimos que ela começa, quando a clavícula acaba, ela está em cima das costelas, separada pelo músculo e desliza sobre elas. A escápula é ligada à clavícula e também ao úmero (osso do braço), através da articulação escápula-umeral.








Após vermos várias imagens dessa estrutura e de tiramos as dúvidas, a aula encerrou-se sem as frases diárias.
Vídeo Cacuriá de Dona Teté.

GLOSSÁRIO

Articulação: é a união de dois ou mais ossos entre si e de todos os elementos que fazem parte desta.
Articulação Escapulo- Umeral: É uma articulação sinovial esferoide que existe entre a cabeça do úmero e a cavidade glenóide da escapula.
Calcâneo: o osso mais volumoso do tarso, situado na parte inferior e posterior do pé.
Cápsula Articular: é um invólucro membranoso que encerra as superfícies articulares.
Cartilagem: é um tecido amortecedor que reveste a superfície do osso ao nível das articulações, protegendo-as. Também serve para dar forma e sustentação à algumas partes do corpo.
Clavícula: osso longo com uma dupla curvatura que articula o esterno com a escápula, compondo a cintura escapular.
Escápula: é um osso grande, par e chato, localizado na porção póstero-superior do tórax, que juntamente com a clavícula forma a cintura escapular ou espádua, permitindo a união de cada membro superior ao tronco.
Esterno: é um osso chato, localizado na parte anterior do tórax. Serve para sustentação das costelas e da clavícula, formando a caixa torácica.
Ísquios: é um osso que constitui a zona inferior da pélvis (quadril) e que apoia o corpo quando estamos sentados.
Ligamentos: são estruturas que tem forma de banda e se fixam aos ossos em suas extremidades sendo necessários para dar estabilidade às diversas articulações. Por essa razão estão localizados em todas elas.
Líquido Sinovial: tem a função de lubrificar as articulações sinoviais, permitindo seu movimento suave e indolor.
Maléolo: são tuberosidades ósseas situadas na articulação do tornozelo que aparece sob a forma de uma saliência sob a pele de cada lado.
Púbis: é um osso do quadril que fica sob a região genital. O púbis faz parte dos três ossos que formam a pelve.
Trapézio: músculo mais superficial dos músculos da região posterior do tronco e do pescoço.
Úmero: é o maior e mais longo osso do membro superior. Articula-se com a escápula na articulação do ombro e com o rádio e a ulna na articulação do cotovelo.

Referências bibliográficas:
https://conceitos.com/articulacao/
http://anatomiaonline.com/articulacoes/superior/superior.html
http://anatomiaonline.com/ossos/inferior/inferior.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1psula_articular
http://revistapilates.com.br/perguntas-e-respostas/glossario/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Esc%C3%A1pula
https://pt.wikipedia.org/wiki/Esterno
https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%8Dsquio
http://queconceito.com.br/ligamentos
https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADquido_sinovial
http://saude.ccm.net/faq/1406-maleolo-definicoes
http://fisiomovimento.com.br/o-que-e-o-pubis/
https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%BAsculo_trap%C3%A9zio
https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-esqueletico/membro-superior/umero/


Fontes Imagens:
https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-esqueletico/membro-superior/escapula/
http://blogdescalada.com/lesoes-e-prevencoes-da-articulacao-do-ombro/
http://missaoeducafisica.blogspot.com.br/2012/10/joelhos-saudaveis-aumentam-expectativa.html
https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-esqueletico/membro-superior/clavicula/




Editado dia 03 de outubro de 2017
Repostado dia 04 de outubro de 2017

Ana Laura Montemor e Vêronica Bizinoto